Ao que chegamos!

Digam-me que estão a seguir esta brincadeira no insta entre os Obamas e o Príncipe Harry:

Hey, @KensingtonRoyal. Are you ready for @InvictusOrlando? Game on.

A post shared by Michelle Obama (archived) (@michelleobama44) on

Unfortunately for you @michelleobama and @barackobama I wasn't alone when you sent me that video 😉 – Prince Harry

A post shared by Kensington Palace (@kensingtonroyal) on

Ahaha ao que chegamos! Acho imensa graça que a rainha alinhe nisto.

Pensando bem a minha avó também anda pelo facebook, não é AvoChinha?

(Calma! Eu sei que tem menos 20 anos do que a rainha!)

Anúncios

(not so) FREE TIME

Para quem está a fazer planos das mil coisas que vai fazer e tratar durante a licença de maternidade, PARE JÁ!

Eu estava convencida que ia ter umas férias (muito) grandes e não dá para nada. Para além de estar presa de 3 em 3 horas, a Luisinha decidiu que como fez 1 mês já é grande e que pode passar os dias acordada e adormecer só às tantas.

Tudo o que tinha planeado fazer enquanto ela está a dormir já não acontece porque está sempre acordada e tem o desplante de chorar de 3 em 3 minutos aparentemente só porque se fartou da posição em que estava.

Fico ansiosa por ter um tempinho para fazer qualquer coisa sem ela!

Deixei-a com a minha sogra para vir ao médico e senti-me aliviada quando sai. Agora estou na sala de espera e a minha cabeça só tem dois pensamentos:

“Se pudesse deitava-me aqui no sofá e dormia um bocado.”

e

“Será que ela está a chorar? Como é que estará?”

aiiiii estou tramada – sou mãe! 😱😱😱

Bebé, o que se passa?

Porque é que os bebés não falam?

Já não posso mais jogar a este jogo do adivinha que se joga com um choro de fundo que parece que só serve para nos enervar e atrapalhar os raciocínios.

  1. “Não pode ser fome. Ainda agora mamou.”
  2. “Não está com a fralda suja.”
  3. “Será que quer arrotar?”
  4. “Está a contorcer-se. São cólicas. Vou pegar com a barriga para baixo.”
  5. (O bebé bolsa.)
  6. “Está enjoada, coitadinha.”
  7. “Será que tem calor? Vou tirar-lhe o xaile.”
  8. “E se experimentássemos pô-la na cama?”
  9. “Está com as mãos frias, vou embrulha-la no xaile.”
  10. “Vou por aero-om na chupeta para ver se acalma.”
  11. “Que se passa bebé? O que se passa?”
  12. ……
  13. “Tem fome.”

Que nervos!

Saquei uma app que decifra o tipo de choro mas não ajudou nada – o bebé tem de chorar 10seg sem pausas e muitas vezes dá erro. Alguém sabe de alguma que funcione?

 

MUDAR DE CASA

Andei a adiar pensar no tema mas chegou a altura de assumir que temos de procurar uma casa nova com espaço para a Luisinha.

A única vez que mudei de casa foi quando me casei e foi muito estranho. Toda a vida vivi na mesma casa com os meus pais e irmãos em Vila do Conde. Por baixo de nós viviam os meus avós e tios e estava habituada a confusão e barulho constante.

Apesar de ter sido estranho foi tudo emocionante porque me ia casar, ia passar a ter a minha casa, o meu espaço e ia viver com o Tó que era a parte mais emocionante, claro. Para além disto arranjamos um apartamento top em frente à praia, com uma vista incrível e imensa luz a toda a hora! Ainda assim tive momentos de nó na garganta porque estava numa casa “estranha”, que estava a conhecer, não conhecia bem a zona, nunca tinha tido de governar uma casa e às vezes ficava inquieta no silêncio.

Para além disso, nunca tinha vivido num prédio e não conhecia a problemática ‘vizinhos’ – mais concretamente de cima, que muito simpaticamente se ofereceu para me dar uns chinelos para não ter de ouvir os meus tacões.

Sim, a vizinha de cima.

Agora, depois do bebé nascer viemos para casa dos meus pais e estamos na casa onde vivi sempre, a casa que melhor conheço e onde vivi tudo até casar. Em breve vamos para nossa casa e mesmo isso me está a fazer alguma confusão – tirar a Luisinha daqui, do meio de toda a gente e passar a estar sozinha com ela all day long (o Tó está a trabalhar).

Mas pior do que tudo é encontrar um novo sítio e fazer dele o nosso sítio.

Numa casa, o que valorizo mais é a luz e o ‘ar fresquinho’ – cores claras (sinto-me abafada nas casas com soalho e armários escuros!). Também é importante o aspeto da cozinha – já visitamos apartamentos óptimos mas com cozinhas vergonhosas com seguramente 30 anos e muitos cozinhados. Também é importante a zona, sobretudo por causa das dinâmicas de deixar a Luisinha quando for trabalhar (mais um tema a pensar… com urgência).

Infelizmente, para além das rendas estarem super inflacionadas, a oferta para arrendamento é pouca ou quase nenhuma.

Vamos ver o que arranjamos.

BACK ON TRACK

Esta 2ª feira voltou finalmente a ser “Dia de Recomeço”.

Voltei finalmente à dieta e estou ansiosa por voltar a fazer exercício físico.

Calma, dieta = alimentação saudável

(para quem está já a pensar que não posso fazer dieta por estar a dar de mamar.)

Durante a gravidez acabei por comer imensas porcarias porque tinha a desculpa perfeita e depois de nascer o bebé ainda foi pior porque nasceu na altura da Páscoa (e eu sou louca por amêndoas) e porque toda a gente me encheu de chocolates e coisas boas para comer (e engordar). A acrescentar a isto foram todos os lanches com visitas cá em casa e o facto de estar em casa dos meus pais onde há sempre tentações e é mais difícil controlar o que como.

Apesar de tudo, tive sorte porque aparentemente estou “ótima para quem acabou de ter um bebé” (toda a gente me diz isto), mas a verdade é que ainda tenho muito para recuperar e o verão é já daqui a 2 meses.

IMG_2015
8 dias depois do parto

Na verdade até estou com vontade de voltar a ter cuidado, de me sentir a emagrecer e mais ativa. Infelizmente o meu médico só me deixa fazer exercício 1 mês depois do parto mas posso começar já a fazer caminhadas (se o tempo deixar…).

O meu objetivo até ao verão é perder 6kg mas mais importante do que isso vai ser o exercício porque quase 9 meses parada e uma barriga esticada com 3kg de gente lá dentro não passam despercebidos.

20160411
11 dias depois do parto

Espero que seja verdade que o facto de estar a dar de mamar me ajude a perder os quilinhos a mais, ao contrário dos 10kg que várias pessoas me disseram ter perdido logo depois do parto – não aconteceu comigo. Nos dias seguintes ao parto sentia-me mais gorda e inchada do que quando fui para a maternidade.

Estou super motivada, e vou conseguir!!

Sei que muita gente vai achar estúpido estar já com esta preocupação mas para mim, gostar da minha imagem é mesmo importante para me sentir bem e já me esforcei muito ao longo dos anos para isso e sempre compensou. Portanto chegou a altura de entrar nos eixos.