Antes vs. Depois

Sou bastante preocupada com a imagem e, sobretudo, com o peso. Vivo preocupada em fazer dieta e emagrecer e claro que tinha pânico do que me ia acontecer quando tivesse um bebé.

Senti-me péssima durante toda a gravidez e não engordei nada de mais e tive uma barriga pequenina. Mas ainda assim sentia-me uma bola prestes a explodir.

Batizei a Luisinha 2 meses depois dela nascer e foi drama escolher o meu outfit porque para além de me sentir péssima, estava efetivamente péssima (claro, tinha acabado de ter um bebé). Não me dava jeito comprar nada naquela altura e, por isso, tinha de me virar com o que tinha. Experimentei imensos vestidos das minhas tias e amigas, o que só serviu para ficar mais triste e dramática na altura.

Passados 6 meses, estou com o meu peso inicial. Ainda há trabalho a fazer claro mas perder peso não foi difícil.

Este fim-de-semana, vesti um dos vestidos experimentados para o batizado e o resultado foi:

CHOQUE

fullsizerender-7

(acho que ainda estava pior do que pensava na altura)

Decidi escrever este post porque tenho ouvido algumas vezes comentários como “ai estás igual ou mais magra do que antes! Para mim é um alívio… Tenho imenso medo do que me vai acontecer quando tiver um bebé.” ou “assim até ganho coragem para engravidar! Estou sempre a adiar porque tenho medo do que me vai acontecer!”

Claro que não é igual para todos e nem toda a gente recupera da mesma forma, mas deixo o meu testemunho de como é possível recuperar  de um primeiro filho.

O segundo, não sei como será!

Anúncios

#shopping

– as minhas escolhas esta semana –

O orçamento é cada vez mais curto e, por isso, tenho espreitado pouco as novas coleções para me defender da depressão que posso estar “a chocar” por não poder comprar (quase) nada.

Mas este fim de semana fui à MO comprar um casaco lindo de morrer que já andava a namorar há algum tempo (e a minha mãe ofereceu-me!) e apaixonei-me por uma saia midi plissada.

Vou andar cada vez mais fora do escritório em trabalho e tenho sentido imenso a falta de casacos de fora, por isso foquei-me em perceber que tipo de casaco precisava mais.

Já tenho sobretudo azul, preto e trench coat, por isso, cheguei à conclusão de que me dava jeito um casaco camel, de camurça ou pele. Mas tinha alguns requisitos:casaco_mo

  • não queria curto mas também não podia ser muito comprido por causa da minha altura.
  • o material teria de ter bom aspeto porque vou usar em trabalho.
  • idealmente teria pelo para dar alguma graça – mas o pelo tinha de ter bom toque
  • preferia com bolsos porque dá-me sempre mais jeito.

E acho que encontrei o casaco perfeito!

 

saia-plissada

 

 

Decidi não trazer a saia porque acho que já começa a enjoar. Embora esta fosse perfeita – gostei imenso por ser cinzenta e por ter um ar sporty mas sem ser desarranjado. Mas toda a gente já tem uma saia midi plissada e eu não encontrei a minha a tempo! Por isso, não comprei. Mas continuo a pensar nela…

Adoro as coleções Outono/Inverno! Muito mais do que as de Verão!

A indefinição do feriado

Os feriados são dias estranhos. A menos que se aproveite o feriado para juntar ao fim-de-semana e se faça mesmo férias, o feriado é um dia de semana disfarçado de domingo em que eu não consigo interiorizar aquele sentimento de ronha a 100% mas ao mesmo tempo, sei que nunca será um dia produtivo por isso vivo-o numa indefinição que me traz algum stress.

FullSizeRender (5).jpg
Today’s Outfit

Por um lado, estou com imenso trabalho e, por isso, este dia útil faz-me falta para conseguir cumprir todas as tarefas a que me propus esta semana; Por outro lado, não consigo adiantar coisas que tenho por fazer porque um feriado não é um sábado, é um domingo e toca a todos. Por isso, está tudo fechado! Precisávamos de ir à lavandaria, ao sapateiro, ao banco, escolher tecidos para as cortinas – coisas que não dá jeito fazer à semana – mas não dá para adiantar na mesma!

Portanto, vivo o feriado a tentar relaxar, mas ao mesmo tempo com um stress latente de quem quer produzir e não consegue.

Ah e um factor crucial: como é feriado, tenho a minha filha para tomar conta 🙂 Estivemos no mimo, fomos dar um passeio até Serralves… Mas depois tive de vir para casa tratar de coisas que conseguia em casa para não sentir que foi um dia desperdiçado!

 

 

#shopping

– as minhas escolhas esta semana-

02-10.png

Tenho imensa tendência para comprar peças statement – ou com padrões ou um corte diferente ou cores fortes e difíceis de conjugar. E tenho sentido falta de peças com tons mais neutros, sobretudo para o trabalho. Preciso delas para conjugar com peças mais marcantes e porque, como o orçamento é (cada vez mais) curto, tenho de investir em peças que não “cansem” tanto.

Esta semana estas foram as minhas escolhas:

  • Colete – Stradivarius – há em várias cores e dá um ar cool a um outfit básico
  • Camiseiro branco – H&M – normalmente não compro camiseiros porque sou baixa e sinto-me sempre perdida por baixo de uma peça tão grande, mas este, acho que tem o tamanho ideal
  • Botins – Primark – Não sou (ou era) cliente Primark mas no inverno passado as minhas botas e botins estavam todos a dar as últimas e já sabia que ia ter de investir este ano. Como são sempre peças mais caras e eu gosto imenso de variar, optei por comprar estes na Primark (por 21€!) que achei uma boa aposta – cor absolutamente neutra, são botins rasos mas têm um bocadinho de tacão (que para mim é muito preciso) e têm o detalhe dourado à frente que lhes dá melhor aspeto.

Sou cada vez mais apologista de andar arranjada e cuidada no trabalho e tenciono apostar mais nisso.