30 WEEKS – Let the countdown begin

O meu bebé faz hoje 30 semanas de vida, o que significa que dentro de 10 semanas já o vamos conhecer. Can’t wait!

IMG_0183
24 semanas

Mil e uma coisas passam pela minha cabeça – Como é que vou lidar com um recém-nascido? Como vai ser a nossa vida daqui para a frente com uma pessoa a depender de nós? Como vai ser agora que vamos deixar de ser só os dois? Como vai ficar a minha carreira?

Vivo a gravidez com alguma ansiedade desde o princípio. Acho que é por ser o primeiro filho… que vem desestruturar um pouco a nossa vida. Acredito que em próximos filhos tudo seja diferente.

Picture1
26 semanas

Nesta fase em que já só faltam 10 semanas, oscilo várias vezes ao dia entre sentir que falta imensooo ou que está quase. Não sei bem qual é a realidade.

Pensar que tenho só mais algumas semanas de trabalho pela frente e tanta coisa para fazer! Por outro lado, pensar que agora é que vão ser elas – é que a barriga vai crescer, as dores nas costas vão aumentar, as roupas vão começar a apertar mais, vou ficar com “cara de grávida”…

Não compreendo as pessoas que dizem que adoraram estar à espera de bebé. Para mim, a gravidez é puramente um meio para atingir um fim e é assim que a vivo, a pensar que tenho de passar por isto e que não teria outra hipótese para ter um filho; mas se pudesse…

De que é que as pessoas gostam? De sentir a barriga a esticar até parecer que vai rebentar? De andar à pata choca? De responder às mesmas perguntas 700 vezes ao dia? De deixar de poder usar roupa gira? De ser interrompida por pontapés constantemente? De comer e sentir mega pressão nas costelas? Da azia? Para não falar de outros sintomas nada simpáticos.

Barriga2

Talvez do mimo que se recebe, da atenção das pessoas num geral que nos deixam passar nas portas (não sei porquê), que nos apanham as coisas do chão e se preocupam constantemente connosco. Mas eu não, preferia ser “uma pessoa normal” 🙂

Para ser sincera, a única vantagem que vejo na gravidez (sem contar com o óbvio que é ter um bebé!), é o lugar de estacionamento no trabalho (sim, porque não se apanha lugares de grávida livres em mais lado nenhum! Estão sempre ocupados.).

Anyway, faltam 10 semanas, tenho ainda muito para fazer até lá, e espero continuar a sentir-me bem e a não ter qualquer problema de saúde como tem sido até agora. Tenho tido imensa sorte! Mal posso esperar por conhecer a nossa filha.

tri_selfie.png
30 semanas

 

 

Anúncios

A VIDA PODE SER CRUEL

Esta semana fui jantar ao Cruel – Restaurante no Porto.

Já tinha ouvido falar bastante deste restaurante e andava com curiosidade de experimentar. As pessoas descreviam-no como uma “experiência” o que me deixava um bocado reticente porque normalmente não gosto quando os empregados se fazem notar com muita conversa, explicações e piadas.

Agora que lá fui concordo que é “uma experiência” e aconselho a experimentarem.

Com o lema: A vida pode ser cruel, coma e esqueça -, o restaurante apresenta um menu divido em 3 – o Menu Cruel, o Menu Cauteloso e o Menu Medroso – que, tal como sugerem, diferem um dos outros pelo grau de surpresa e experiência que dão aos clientes.

francesinha

Infelizmente, pelo meu estado de graça não pude experimentar nada de diferente (não posso comer carne mal passada nem vegetais crus) e acabei por comer a Francesinha Diávola que apesar de ser boa e diferente não aconselho por comparação com os outros pratos. Tudo o que vi tinha um aspeto divinal e as pessoas estavam todas entusiasmadas a desafiar os sentidos!

As minhas amigas experimentaram o Carpaccio com Flor Elétrica e adoraram! Antes de comer o Carpaccio, é-nos dado uma flor elétrica que se deve mastigar e torna a boca dormente. Faz com que as papilas gustativas fiquem mais apuradas e que o vem a seguir seja ainda mais saboroso e delicioso!pratos.png

Depois pediram Risotto de Cogumelos, Lombo de Salmão com Quinoa e Novilho Cru(el) que traz umas folhas de jambu também para mastigar primeiro e para quem gosta de bife tártaro deve ser uma delícia!

As sobremesas também são ótimas! Experimentámos a Mousse de Chocolate Crocante e o Tiramisú de Lima em Coma Alcoólica. Tudo ótimo!

sobremesas.pngA decoração é simples e despretenciosa mas o espaço é pequeno por isso é melhor reservar mesa. O ambiente estava giro, com todas as mesas ocupadas mas não dava a sensação de estarmos apertados.

A conta? Puxadinha.

Tenho de lá voltar quando depois do bebé nascer para poder experimentar tudo!

JOY – (not) FUNNY JENNIFER

Jennifer Lawrence foi uma das vencedoras dos Golden Globes 2016 e o filme Joy, de que lhe valeu este prémio, tem sido super badalado nesta época de nomeações e prémios do cinema – e eu pergunto: porquê?

Vi o filme no cinema por falta de alternativas e horários e juro que estive a lutar contra o sono durante toda a primeira parte. Achei mesmo muito fraca e patética.

Na segunda parte do filme, a história desenvolve-se um pouco e ganha algum interesse com a invenção da esfregona e o sucesso que ela consegue ter em vendas mas ainda assim… não.

É suposto ser um hino à força e capacidade de sobreviver e empreender das mulheres… mas não me conseguiu passar qualquer emoção. Por ser baseado numa história real ganha alguma dimensão, mas continuo sem perceber como lhe valeu um Globo de Ouro e está nomeado para Óscar.

Claro que a minha irritação crónica com a Jennifer Lawrence não ajudou – para além de achar que é uma atriz mediana, irrita-me esta mania que ela tem de que tem imensa graça e que não consegue controlar em todas as suas aparições.

Soube ontem da postura absurda e arrogante que teve com um jornalista nos Globos de Ouro e, mais uma vez, fiquei muito mal impressionada.

Havia alguma necessidade? Achou mesmo que estava a ter piada? Enfim… Not funny, Jennifer.

YOU CAN’T HIDE FROM YOURSELF

Depois de uns tempos a lidar com as mais recentes mudanças – gravidez, mudança de função, as minhas amigas a irem embora do país ou, pelo menos, do Porto – estou preparada para voltar.

Preparada para lidar com tudo sem dramas, só com alegria e coragem.

Volto com uma música que me tem tocado especialmente nos últimos tempos:

 

E agora ainda tem mais significado para mim: todos os dias tenho de lidar com o facto de ter de “carry my own weight” 🙂

CARA DELEVINGNE RETIRA-SE DAS PASSERELLES AOS 23 ANOS

A modelo britânica Cara Delevingne deu uma entrevista ao The Times onde disse que se ia retirar das passerelles.

article-2543139-1AD806A900000578-92_634x409

Todos conhecemos a top-model que já fez as mais variadas campanhas para as marcas de topo como Chanel e Burberry e marcas de fast-fashion como H&M e Mango.

A justificação que deu para deixar a runway foi “esqueci-me da jovem que sou, sentia-me velha” referindo-se ao ritmo alucinante das viagens e dizendo que se sentia sempre no limite.

Aproveitou ainda para criticar o assédio sexual que existe na indústria da moda e o mood machista que há em todas as produções que a fez posar em posições sugestivas desde muito nova.

Cara_Delevingne_Burberry_Lip_Velvet_Campaign-300x200Realmente lembro-me da Cara desde há imensos anos já e fiquei espantada por ainda ter 23 anos! Significa que já a vemos em mega produções desde cedíssimo e que eu não me fui apercebendo de que tenha ficado mais velha!

la-modella-mafia-Cara-Delevingne-x-Style.comPrint-SpringSummer-2013-photographed-by-Matt-Irwin-3

Aliás, associo-a sempre a ser uma miúda porque durante algum tempo foi a imagem da trafaluc – marca mais jovem da Zara, direcionada aos teens.

Não consigo acha-la uma mulher genericamente bonita porque quando olho para ela vejo feições bastante masculinas, os olhos um pouco salientes e um nariz não muito perfeitinho mas é indiscutível que tem uma beleza própria, imensa presença e revela uma confiança inquestionável.

É um ícone exactamente pela diferença e graça natural que vemos em todas as campanhas.

Cara-Delevingne-And-Kate-Moss-My-Burberry1

Se se vai retirar das passerelles… Nem vamos reparar porque vai continuar a estar por todo o lado e muitas vezes com a sua bff Kate Moss que, apesar de a sua beleza ser discutível, para mim é e será uma das mulheres mais bonitas do mundo!

unnamed

As modelos já têm trabalhado juntas, ficando cada vez mais associadas uma à outra.

Começaram por fazer juntas uma campanha da Burberry e atualmente são a cara de uma nova campanha da Mango (#somethingincommon).

Picture1

Follow me

insta

QUANDO OS COLEGAS DE TRABALHO…

…nos obrigam a estragar dieta.

Há uns tempos descrevi a forma como somos bombardeados no nosso dia-a-dia com pressões para comermos coisas que boas e que engordam.

Neste período de férias estas pressões intensificam-se e, como metade das pessoas estão de férias, é muito mais difícil passarmos despercebidos e tomar só um café, sem ninguém notar que não tocamos nos bolos e nas bolachas que todos alegremente partilham – porque nunca engordam; porque comer bolos à semana é indiferente para eles…!

Agora os argumentos são outros:

Oh eles vão de férias… e nós viemos de férias e estamos deprimidos… temos de ir comer.”

Trabalhar no verão ninguém merece! Temos de ter alguma coisa boa!

Estamos em Agosto… é mês de férias, começas em Setembro, anda lá!

Vais ficar aqui a almoçar sozinha com este dia tão bom? Não sejas parva.”

Qual é o problema de mais um quilinho? Estás morena, nem se nota!

…and so on…

E a verdade é que a maioria das pessoas não compreende o stress com o peso e as dietas e, se o levar ao limite e nunca ceder, vou ser vista quase como uma desequilibrada ou obcecada.

E por isso… hoje, sexta-feira, dia de semana normal – almocei McDonalds.

E sim, estou a bater mal com isso! E os meus colegas de equipa estão na mesma como se tivessem almoçado peito de frango com salada.

Ainda por cima a uma sexta-feira! Significa que já não vou fazer nenhum esforço até segunda-feira… Porque “perdido por 100, perdido por 1000!”. Bem… era pior se tivesse sido numa quinta.

Follow me

insta